Proteção Levada a Sério: Governo de Santa Catarina investe R$ 16 milhões e inicia dragagem do Rio Itajaí-Açu em Rio do Sul

Um marco histórico na proteção das pessoas e na prevenção de enchentes. O governador Jorginho Mello assinou, neste sábado, 11, em Rio do Sul, a ordem de serviço para o início das obras de dragagem do Rio Itajaí-Açu.

Aguardada há décadas, a ação prevê melhorias que visam mitigar e prevenir as cheias no Alto Vale do Itajaí, região que de forma recorrente é uma das mais atingidas em Santa Catarina.

A medida é uma forma de evitar que cenas como a das enchentes de 2023 voltem a se repetir no Vale do Itajaí como um todo.

O investimento total do Governo catarinense para o desassoreamento dos rios e limpeza das margens será de R$16,2 milhões. O serviço abrange um trecho de 8,2 quilômetros, divididos entre os rios Itajaí do Sul, Itajaí do Oeste e, após a junção deles, o próprio Rio Itajaí-Açu.

O governador Jorginho Mello, falou do compromisso de iniciar o trabalho e aliviar a dor e o sofrimento do pessoal do Alto Vale e região:

SONORA

A necessidade emergencial da obra prevê que o prazo para a execução seja de 180 dias, contados a partir da emissão da ordem de serviço, dentro do período de 365 dias da declaração de calamidade pública pelo município de Rio do Sul, em 17 de novembro de 2023 (Decreto n° 12431).

O secretário de Estado da Proteção e Defesa Civil, Fabiano de Souza relata que esta é a primeira ação do tipo prevista nos estudos da Jica e que começa a ter um impacto direto e significativo na mitigação de inundação:

SONORA

Durante o evento, foram organizados atos de limpeza das margens do rio, que contou com a participação de crianças e adolescentes da comunidade local.

Na parte da manhã, a mobilização para a limpeza teve início por volta das 10h30, atrás do Centro de Inovação, do Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí (Unidavi).

No período da tarde, foi a vez do Parque Municipal Harry Hobus, também em Rio do Sul.

Todos os participantes receberam da Defesa Civil os materiais para a limpeza das margens, incluindo luvas, sacos de lixo e repelente.

As chuvas e perdas são recorrentes e dramáticas para quem vive na região. Um exemplo é Nelçi Terezinha Pereira, fundadora do grupo Unidos Venceremos, que batalha há 8 anos por uma solução que traga segurança e paz para a população.

Ela mesma já foi vítima das águas e perdeu os bens materiais em cinco episódios de enchentes. Agora vê na iniciativa do governo um fator de esperança em dias melhores:

SONORA

A ação foi toda acompanhada também por profissionais do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC), para garantir a segurança de todos participantes das ações de conscientização ambiental.