Defesa sanitária vegetal utiliza drones para identificar doenças

Um estudo pioneiro da Cidasc e da Epagri, empresas públicas vinculadas à Secretaria de Estado da Agricultura e Pecuária, está aprimorando o monitoramento e controle de doenças em vegetais com a utilização de drones.

O sistema foi testado em Ipuaçu, na região Oeste de Santa Catarina, para monitorar pomares de citros.

As imagens aéreas permitem identificar variações de cor que podem indicar que os vegetais foram atingidos por alguma praga.

Na Cidasc, quem tem analisado imagens de drone para fins de defesa sanitária vegetal é o técnico agrícola Diego Vinícius Gonçalves.

A área plantada é sobrevoada com o drone (também chamada tecnicamente de ARP – aeronave remotamente pilotada), registrando imagens em diferentes altitudes, que serão usadas para compor uma representação em três dimensões. O técnico Diego fala desta tecnologia usada em Santa Catarina:

SONORA

O estudo é inovador e a expectativa do corpo técnico é desenvolver um padrão que permita identificar os vegetais que não estão sadios em outras culturas.

A Cidasc pretende aplicar a tecnologia nas ações de defesa sanitária vegetal também na cultura da banana, um dos destaques da fruticultura catarinense.

A gestora da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Cidasc, Fabiana Alexandre Branco, fala das ações da Defesa SAnitária Vegetal, do monitoramento constante para evitar prejuízos e orienta os produtores sobre a prevenção:

SONORA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *