Agência Minas Gerais | Governo de Minas cobra esclarecimentos sobre a efetividade da drenagem da BR-040

O Governo de Minas, por meio do Secretaria de Estado de Infraestrutura, Mobilidade e Parcerias (Seinfra), cobrou providências da Agência Nacional de Transportes Terrestres e da Via 040 sobre os problemas de drenagem na BR-040, em Nova Lima, que colocam em risco os motoristas que trafegam pela rodovia, que é de responsabilidade federal e está sob concessão. 

Em ofício encaminhado aos órgãos, o secretário de Estado de Infraestrutura, Pedro Bruno, cobrou esclarecimentos sobre a inundação da rodovia na noite da última terça-feira (23/1).   

“Solicito que sejam tomadas as ações necessárias para garantir que não haja obstrução nos bueiros e demais itens de escoamento da rodovia, bem como que seja verificada a efetividade do sistema de drenagem de todo o percurso. Importante destacar que a rodovia é uma das principais saídas da capital Belo Horizonte, além de ser umas das rodovias mais estratégicas do país, sendo assim, o número de veículos que trafegam por ela todos os dias é alto e qualquer tipo de interrupção, além de colocar a vida de pessoas em risco, causa grandes prejuízos econômicos para o estado e para o país”, destacou o secretário no documento. 

Nessa quarta-feira (24/1), o Governo de Minas, por meio do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), além da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) e Polícia Militar de Meio Ambiente, realizou  uma fiscalização preventiva no Dique Lisa, na Mina Pau Branco, na mineradora Vallourec, em Nova Lima, na Grande BH.

A ação teve o intuito de investigar as causas para o alagamento da BR-040 durante a forte chuva de terça-feira (23/1).

Durante a vistoria, que também contou com as participações da Agência Nacional de Mineração (ANM), do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e da Defesa Civil Municipal de Nova Lima, foram analisados pontos do Dique Lisa, estrutura que transbordou no período chuvoso de 2022 e causou a interdição da BR-040.

No entanto, na chuva de 23/1, nenhuma obstrução foi constatada na rede de drenagem da estrutura que pudesse ter causado o alagamento da via.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *